Pioli discute adaptação de novas contratações, rodízio de elenco e ideia de mudança de formação

O técnico do Milan, Stefano Pioli, esclareceu as condições de algumas novas adições, enquanto também abordou a ideia de rotatividade de jogadores e mudança de formações.

O Milan começou bem a temporada no campeonato, com três vitórias e dois empates em seus cinco primeiros jogos, com o resultado mais recente, claro, sendo a emocionante vitória por 3 a 2 sobre o Inter, no último sábado.

No entanto, a campanha até agora tem sido um contraste em alguns aspectos da temporada vencedora do Scudetto em 2021-22, já que o Milan não conseguiu vencer nenhum dos três jogos fora de casa (Atalanta, Sassuolo e RB Salzburg na Liga dos Campeões), enquanto vencendo três de três em casa.

O Milan vai tentar acertar as coisas contra um time da Sampdoria que está mais uma vez procurando uma identidade sob o comando de Marco Giampaolo, com apenas dois pontos para mostrar em seus cinco primeiros jogos, embora tenham vindo de empates com Lazio e Juventus.

Pioli conversou com os repórteres que se reuniram no Milanello para sua coletiva de imprensa pré-jogo, com MilanNews transmitindo seus comentários.

Em Gênova, os jogos nunca foram fáceis. Sampdoria chega após dois empates em casa contra Juve e Lazio.

“Vamos encontrar um adversário sólido. Eles vêm de dois empates contra times importantes e também de uma derrota e sabemos que eles vão querer uma vingança”.

Seus oponentes o encaram de forma diferente?

“Ainda é cedo para comparar jogos em casa e fora. Para mim depende sempre da nossa qualidade. Em Bérgamo fizemos uma grande partida, enquanto com Sassuolo e Salzburgo poderíamos ter feito melhor”.

Origi será o titular amanhã?

“Pode ser o momento dele. Ele jogou, ele colocou minutos em suas pernas. Ele precisa jogar”.

Dest também pode jogar na esquerda?

“Nós o seguimos na temporada passada também. Achei-o mais atento na defesa do que pensava. Em Salzburgo foi muito atencioso. Ele tem que fazer mais com a bola, com a qualidade que pode fazer tanto no ataque. Ele também gosta de jogar na esquerda, mas também temos outras soluções. Para os novos jogadores é importante conhecer melhor seus companheiros de equipe. Dest é um jogador pronto.”

Como está indo a inclusão de De Ketelaere? Como está Brahim Diaz?

“Tem também o Adli, temos várias soluções. Charles está fazendo tudo o que estou pedindo dele, ele está se inserindo cada vez mais, cada vez melhor, estou feliz com o desempenho dele. Então ele deve ter tempo para conhecer, mas vejo um jogador calmo. Brahim tem certas características que nos dão superioridade numérica. É inevitável que você sempre me pergunte sobre quem não joga, mas eu sempre escolho com base no jogo.”

As rotações são essenciais?

“Não gosto do termo rotação. Pois todos os meus jogadores são fortes, todos dão o seu melhor. Sempre jogo com a melhor formação. Tenho muita confiança nos meus jogadores. Não é que se eu fizer rodízio, eu os faça como um viés… Eu coloco jogadores em campo para ganhar jogos.”

Por que Diaz se perdeu depois da Udinese? Ele está pagando o preço de uma forte concorrência?

“Se você joga pelo Milan, tem que aceitar a competição. Se queremos ganhar algo, não podemos esperar ter apenas 11 titulares. Se Diaz está sofrendo com a competição, mas acho que não, isso não é bom. Há grande concorrência, mas também grande compacidade. É sempre assim. Todo treinador começa com uma escalação, mas depois as coisas mudam durante o ano. Você tem que trabalhar e pensar em convencer o treinador a deixá-lo jogar. ”

Como vai Rebic?

“Não gosto de certas alegações. Ele tem dores nas costas, infelizmente a dor ainda não passou e, portanto, ele não pode treinar em grupo”.

A Adli terá mais oportunidades?

“Cabe a ele demonstrar. Espero muito dele também.”

Várias vezes o Milan ficou atrás em jogos…

“Como abordagem, cometemos apenas um erro com a Udinese, mas é claro que é um fato que queremos reverter. Então, no entanto, confirma-se a grande consciência da equipa que, apesar da desvantagem, continua a acreditar nela para mudar o jogo.”

Poderia haver uma mudança de formação com um meio-campo de três homens?

“Não neste momento. Nunca experimentei Adli como mezzala.”

Como Pobega está vendo?

“Gostei de como ele entrou em Salzburg. Ele está crescendo, estamos apostando muito nele”.

A Saelemakers ainda estará começando amanhã?

“Você sabe que eu não estou dizendo a formação. Em Salzburg ele jogou bem, não forçou jogadas quando não deveria. O desempenho de Salzburgo não foi excelente, mas decente. Amanhã temos que fazer melhor.”

O que você espera de De Ketelaere?

“Temos que procurá-lo um pouco mais, ele também pode receber a bola de costas para o gol porque fisicamente ele pode lidar com desarmes. Ele tem que aprender a ir mais fundo.”

O De Ketelaere precisa jogar mais?

“Eu não coloco os jogadores em campo para lhe dar minutos. Se ele jogar amanhã é porque acho que ele pode nos dar uma mão. Eu tenho que pensar em toda a equipe.”

Por que você está deixando em mais gols?

“Nós sofremos alguns gols a mais. Todo o time precisa melhorar, não apenas a defesa. Na terça tivemos que fazer melhor no gol. Precisamos melhorar a fase defensiva”.

Pobega pode ser usado como meia-atacante?

“Tudo é possível. Você pode procurar novos caminhos ou novas soluções. É difícil que tudo o que conquistamos no ano passado funcione novamente este ano. Sofremos mais alguns golos, mas por vezes é a qualidade dos adversários que pode fazer a diferença. Quanto a Leão: não é que todas as vezes que foi decisivo houve um erro defensivo, mas sim pela sua qualidade. Este ano temos um meio-campista mais ofensivo”.

É o seu terceiro ano no comando do Milan. Qual é a maior diferença entre este ano e os outros?

“Nós nos conhecemos bem e, portanto, podemos nos dedicar mais a esses detalhes que podem fazer a diferença. Fizemos o grosso”.

Em bolas mortas você está lutando…

“Nós temos que fazer melhor. A equipe também sabe disso. Estamos trabalhando nisso, espero ver melhorias em breve. Este é um dos detalhes em que estamos trabalhando mais. Precisamos ser mais concretos nessas situações”.

O que muda entre De Ketelaere e Diaz no papel de meia-atacante?

“A posição é a mesma e eles sabem o que têm que fazer. Eles têm características diferentes, mas a posição que eles precisam preencher é a mesma.”

Com todos esses jogos, os jogadores também precisam gerenciar?

“Não conseguimos administrar as partidas. Temos que jogar com intensidade todas as partidas. Temos que dar tudo, não podemos nos dar ao luxo de terminar as partidas com alguma energia restante”.

Como está sendo a introdução das novas contratações?

“Eles estão trabalhando e crescendo. Eles conhecem melhor seus companheiros de equipe. Eles são caras muito disponíveis. Chegaram há alguns dias. Não sei se alguém estará pronto para amanhã, mas o importante é que são jogadores fortes. Alguns deles irão para a seleção nacional, eu ficaria mais feliz em tê-los aqui conosco.”

We want to thank the writer of this article for this outstanding web content

Pioli discute adaptação de novas contratações, rodízio de elenco e ideia de mudança de formação


Check out our social media profiles as well as the other related pageshttps://topfut.com/related-pages/